Cardiosclerose aterosclerótica: tratamento, causas, prevenção

A aterosclerose afeta os vasos de cada terceira pessoa na Terra. Este é o processo de formação de placas "gordas" na parede das artérias ou veias, que podem atingir um tamanho enorme - até 7-12 cm de diâmetro. Com seu crescimento significativo, o lúmen do vaso pode se sobrepor completamente, o que levará à nutrição insuficiente do órgão ou à estagnação do sangue nele. O crescimento de tais placas nas artérias que suprem o coração leva à ocorrência de doença isquêmica (abreviada como DIC) e cardiosclerose aterosclerótica.

Se no primeiro caso, mudanças no órgão são freqüentemente reversíveis (a exceção é o desenvolvimento de um ataque cardíaco), então com cardiosclerose, os danos ao músculo cardíaco duram por toda a vida. No miocárdio, ocorre proliferação de tecido conjuntivo, devido à qual sua função diminui e, como resultado, todo o organismo pode sofrer.

Causas da Cardiosclerose

A causa exata da cardiosclerose aterosclerótica é desconhecida. Os médicos acreditam que os mais importantes são a grande quantidade de lipídios no sangue (especialmente LDL, colesterol) e danos vasculares (com quedas de pressão, inflamação, etc.). Na maioria das vezes, essas condições são observadas em pessoas que têm os seguintes fatores adversos:

  • Genética - se no passado da família muitos sofriam de aterosclerose, há uma alta probabilidade de seu desenvolvimento em descendentes,
  • Idade - após 50 anos, placas "gordas" nos vasos se formam muito mais rapidamente do que em uma idade jovem. Isto é devido a um abrandamento nos processos metabólicos, uma diminuição na função hepática e alterações na parede vascular. Devido a isso, os lipídios circulam no sangue por mais tempo e se acomodam mais facilmente nas artérias danificadas,
  • Sexual - de acordo com as estatísticas, os homens são mais suscetíveis à aterosclerose do que as mulheres que são protegidas por hormônios sexuais (antes da menopausa),
  • Maus hábitos - fumo e álcool
  • Excesso de peso - é determinado por um índice especial (peso corporal em kg / altura 2). Se o valor resultante for menor que 25, então o peso é considerado normal,
  • Doenças concomitantes - diabetes (especialmente o segundo tipo), insuficiência tireoidiana (hipotireoidismo), insuficiência hepática, hipertensão (pressão arterial acima de 140/90).

A presença de um mesmo fator aumenta significativamente o risco de cardiosclerose aterosclerótica. Este processo é sempre formado gradualmente, por isso é difícil determinar a sua presença em tempo hábil, sem o estado de alerta do paciente. Para fazer isso, você precisa saber onde a doença começa e como ela se desenvolve.

Como se desenvolve a cardiosclerose aterosclerótica?

Primeiro de tudo, uma pessoa deve alterar a composição das gorduras do sangue. O nível de lipídios “prejudiciais” aumenta (LDL) e diminui “benéfico” (HDL). Devido a isso, tiras de gordura aparecem nas paredes das artérias coronárias. É impossível detectá-los durante a vida, uma vez que não provocam o aparecimento de quaisquer sintomas.

Posteriormente, os lipídios, juntamente com as células do sangue (plaquetas), continuam a se estabelecer na região da faixa, formando uma placa completa. À medida que cresce, primeiro fecha parcialmente a artéria. Neste momento, a pessoa está preocupada com os primeiros sinais de doença coronariana. Se a placa permanecer nessa condição por um longo período (por vários anos) e o paciente não tomar medicamentos hipolipemiantes, a cardiosclerose aterosclerótica aparece. Via de regra, é de natureza difusa - pequenos focos ocorrem em diferentes partes do músculo cardíaco.

Sem tratamento, a doença progride gradualmente - a quantidade de tecido conjuntivo aumenta, em vez de um miocárdio normal. As células musculares restantes crescem, tentando manter a função cardíaca normal. Como resultado, isso leva à insuficiência e ao aparecimento de sintomas graves.

Sintomas da cardiosclerose aterosclerótica

Os pacientes apresentam dois grupos principais de queixas - sobre as manifestações da doença coronariana e sobre sinais de insuficiência cardíaca. A primeira é a dor, que pode ser reconhecida por sinais característicos. Eles são todos descritos em um questionário especial, respondendo às perguntas de que o paciente pode suspeitar independentemente de DIC.

Angina pectoris ou Prinzmetal - média / baixa intensidade,

Angina de peito instável - a aparência da dor grave é possível. O paciente pode "congelar" durante as convulsões, pois tem medo de agravar o sintoma.

Com qualquer tipo de doença cardíaca coronária (exceto ataque cardíaco), a dor desaparece depois de tomar nitroglicerina. Se persistir por mais de 10 minutos - esta é uma ocasião para contatar uma ambulância.

Com a angina estável, a dor rapidamente desaparece depois de um resto curto (durante 5-7 minutos).

Característica de dorDescrição
Onde está localizado?Sempre atrás do esterno. Este é o critério diagnóstico mais importante.
Que tipo de personagem?A dor geralmente está doendo ou puxando. Às vezes, o paciente só pode se queixar de desconforto no peito.
Onde ela irradia ("dá")?
  • Ombro esquerdo
  • Mão esquerda
  • Omoplata esquerda / direita
  • O lado esquerdo do peito.

Este sintoma é intermitente - em alguns pacientes pode estar ausente.

Quando isso ocorre?Esse sintoma depende do tipo de doença coronariana:

  • Angina pectoris (a opção mais comum) - após estresse físico / psicológico. Quanto mais forte a luz da artéria coronária estiver fechada - menos esforço é necessário para causar dor,
  • Angina de peito de Vasospastic (Prinzmetal) - em qualquer momento, mas mais muitas vezes em paz ou à noite,
  • Angina pectoris instável - a dor ocorre espontaneamente.
Quão forte é isso?
O que é removido?

Além dos sintomas acima, um paciente com cardiosclerose aterosclerótica pode detectar sinais de insuficiência cardíaca:

  • Falta de ar que ocorre durante o esforço. Na maioria das vezes, os pacientes percebem isso ao subir escadas ou caminhar por distâncias consideráveis ​​(mais de 400 metros). Com cardiosclerose avançada, a respiração do paciente pode ser difícil mesmo em repouso,
  • Edema - nos primeiros estágios, apenas as pernas são afetadas (na área dos pés e pernas). Subsequentemente, o edema pode ocorrer em todo o corpo, incluindo órgãos internos,
  • Alterações na pele e unhas - pacientes com cardiosclerose grave nota de resfriamento das mãos e pés, pele seca constante. Perda de cabelo e deformação das unhas são possíveis (eles adquirem uma forma redonda, tornam-se convexos),
  • Uma diminuição na pressão (abaixo de 100/70 mm Hg) aparece apenas no contexto de uma alteração significativa no miocárdio. Muitas vezes acompanhada de tontura e desmaios periódicos.

Além disso, a cardiosclerose aterosclerótica pode ser acompanhada por distúrbios do ritmo, a aparência de uma sensação de "batimentos cardíacos" e "disfunções" no coração. No entanto, esses sintomas raramente ocorrem.

Diagnóstico de cardiosclerose aterosclerótica

A aterosclerose pode ser suspeitada pelo estudo do sangue venoso do paciente. Para fazer isso, basta realizar uma análise bioquímica, na qual você deve definitivamente observar os seguintes indicadores:

lípidos ")

IndicadorNormaAlterações na cardiosclerose aterosclerótica
Colesterol3,3-5,0 mmol / lEstá aumentando
LDL ("lipídios prejudiciais")até 3,0 mmol / lEstá aumentando
maior que 1,2 mmol / lVai descer
TriglicerídeosAté 1,8 mmol / lEstá aumentando

Para confirmar a presença de cardiosclerose aterosclerótica, os médicos usam o diagnóstico instrumental. Os seguintes métodos são mais comuns na Rússia:

  • O ECG é um estudo barato e onipresente que permite suspeitar de cardiosclerose pela presença de isquemia de certas áreas do coração,
  • A ultrassonografia do coração (ecocardiografia) é a maneira mais fácil de detectar tecido conjuntivo em vez do miocárdio, avaliar o número de focos patológicos e seu tamanho,
  • A angiografia coronária é a maneira mais precisa e cara de detectar aterosclerose. O estudo é realizado apenas em hospitais de grande porte, pois exige insumos caros, equipamentos e especialistas altamente qualificados. O algoritmo padrão para angiografia é o seguinte:
    1. Através da artéria femoral, o cirurgião insere um cateter especial (tubo fino) que conduz através da aorta até as artérias coronárias,
    2. Um agente de contraste é introduzido no cateter,
    3. Tire uma foto da área do coração por qualquer método de raio-X (mais freqüentemente isso é tomografia computadorizada).

Depois de confirmar o diagnóstico, os médicos prescrevem um tratamento abrangente. Inibe a progressão da doença, reduz a gravidade dos sintomas e reduz o risco de ataque cardíaco, que é uma causa comum de morte nesses pacientes.

Tratamento da cardiosclerose aterosclerótica

Primeiro de tudo, os pacientes são recomendados a aderir a uma dieta que visa reduzir a quantidade de lipídios no sangue. Implica a exclusão de pratos fritos, farinha, defumados e salgados. A mesa do paciente deve consistir principalmente de sopas de caldo de galinha, cereais, carnes dietéticas (frango, vitela, peru) e produtos vegetais (legumes, frutas).

O paciente deve ajustar seu estilo de vida para melhorar o efeito do tratamento. São necessários exercícios físicos (natação, caminhada regular, corrida leve), que ajudarão a eliminar o excesso de peso e aumentarão a tolerância (tolerância) ao estresse.

O tratamento bem-sucedido da cardiosclerose aterosclerótica não é possível sem seguir as recomendações acima, mas a medicação adequada também desempenha um papel importante. Por via de regra, inclui os seguintes grupos de drogas:

  • Diluentes de sangue - Aspirina Cardio, Cardiomagnyl. Eles são levados para inibir o crescimento de placas e bloqueio de vasos sanguíneos. O uso regular dessas drogas previne o infarto do miocárdio em 76%,
  • Abaixamento lipídico - atorvastatina, rosuvastatina, sinvastatina,
  • Aliviando ataques de IHD - Nitroglicerina em spray / comprimidos sob a língua. Funciona apenas por um curto período de tempo. Com convulsões frequentes, recomendam-se formas que duram de 8 a 12 horas: dinitrato de isossorbida ou mononitrato,
  • Eliminando o edema - Diuréticos Veroshpiron, espironolactona. Com edema grave e pronunciado, a nomeação de furosemida é possível,
  • Previsão de Aprimoramento - Enalapril, Lisinopril, Captopril. Essas drogas reduzem a gravidade da insuficiência cardíaca e reduzem ligeiramente a pressão arterial.

Este esquema pode ser suplementado com outras drogas, dependendo da condição do paciente. Se os medicamentos não forem capazes de reduzir os sintomas da cardiosclerose aterosclerótica, é recomendável que você vá ao tratamento cirúrgico. Consiste em melhorar o fornecimento de sangue ao miocárdio, expandindo as artérias coronárias (angioplastia transluminal por balão) ou contornando o fluxo sanguíneo (revascularização do miocárdio).

Prevenção de cardiosclerose aterosclerótica

A probabilidade de desenvolver esta patologia é muito alta, portanto, a profilaxia deve começar em uma idade jovem. Consiste em uma simples correção de estilo de vida, visando reduzir os níveis lipídicos e prevenir danos vasculares. As recomendações dos médicos são as seguintes:

  • Exercite-se pelo menos 3 vezes por semana. Corrida, esportes / esqui e natação são ideais;
  • Pare de fumar, uso de drogas e grandes doses de álcool (recomenda-se consumir não mais que 100 g de vinho por dia),
  • Medir periodicamente a pressão e glicose,
  • Regularmente (a cada 6 meses) tomam complexos multivitamínicos,
  • Limite os alimentos gordurosos, farinhosos e defumados. Os pratos não devem ser adicionados.

Evitar cardiosclerose aterosclerótica é muito mais fácil do que tratá-la. As atividades acima ajudam a manter uma qualidade de vida decente para uma pessoa mesmo na velhice.

O que é cardiosclerose aterosclerótica?

Como tal diagnóstico de "cardiosclerose aterosclerótica" não existe há muito tempo e de um especialista experiente você não ouça. Este termo é usado para chamar as consequências da doença cardíaca coronária, a fim de esclarecer alterações patológicas no miocárdio.

A doença é manifestada por um aumento significativo do coração, em particular, do ventrículo esquerdo e dos distúrbios do ritmo. Os sintomas da doença são semelhantes às manifestações de insuficiência cardíaca.

Antes que a cardiosclerose aterosclerótica se desenvolva, o paciente pode sofrer de angina pectoris por um longo tempo.

A doença é baseada na substituição de tecidos saudáveis ​​no miocárdio cicatricial, como resultado da arteriosclerose coronariana. Isso acontece devido à circulação coronariana prejudicada e suprimento insuficiente de sangue ao miocárdio - manifestação isquêmica. Como resultado, no futuro, muitos focos são formados no músculo cardíaco, no qual o processo necrótico começou.

A cardiosclerose aterosclerótica é frequentemente “adjacente” à hipertensão crônica, bem como aos danos escleróticos na aorta. Muitas vezes, o paciente apresenta fibrilação atrial e arteriosclerose cerebral.

Como a patologia é formada?

Quando um pequeno corte aparece no corpo, todos tentamos torná-lo menos perceptível após a cicatrização, mas a pele ainda não terá mais fibras elásticas neste local - o tecido cicatrizado se formará. Uma situação semelhante ocorre com o coração.

Uma cicatriz no coração pode aparecer pelos seguintes motivos:

  1. Após o processo inflamatório (miocardite). Na infância, a causa disso são doenças passadas, como sarampo, rubéola, escarlatina. Em adultos - sífilis, tuberculose. Com o tratamento, o processo inflamatório diminui e não se espalha. Mas às vezes uma cicatriz permanece depois disso, ou seja tecido muscular é substituído por cicatrizes e não é mais capaz de se contrair. Esta condição é chamada cardiosclerose miocardite.
  2. Necessariamente, o tecido cicatricial permanecerá após a operação realizada no coração.
  3. O infarto agudo do miocárdio adiado é uma forma de doença coronariana. A área resultante de necrose é muito propensa a ruptura, por isso é muito importante formar uma cicatriz bastante densa com a ajuda do tratamento.
  4. A aterosclerose dos vasos provoca seu estreitamento, devido à formação de placas no interior do colesterol. O suprimento insuficiente de oxigênio das fibras musculares leva à substituição gradual do tecido cicatricial saudável. Esta manifestação anatômica da doença isquêmica crônica pode ser encontrada em quase todas as pessoas idosas.

A principal razão para o desenvolvimento da patologia é a formação de placas de colesterol dentro dos vasos. Com o tempo, aumentam de tamanho e interferem no movimento normal do sangue, nutrientes e oxigênio.

Quando o lúmen se torna muito pequeno, os problemas cardíacos começam. Ele está em um estado constante de hipóxia, como resultado do qual a doença coronariana se desenvolve e, em seguida, cardiosclerose aterosclerótica.

Estando nesse estado por muito tempo, as células do tecido muscular são substituídas por conectivas, e o coração deixa de se contrair adequadamente.

Fatores de risco que provocam o desenvolvimento da doença:

  • Predisposição genética
  • Sexo Os homens são mais suscetíveis à doença do que as mulheres,
  • Critério de idade. A doença se desenvolve mais frequentemente após os 50 anos de idade. Quanto mais velha a pessoa, maior a formação de placas de colesterol e, como resultado, doença arterial coronariana,
  • A presença de maus hábitos,
  • Inatividade física,
  • Desnutrição
  • Excesso de peso
  • A presença de doenças concomitantes, como regra, é diabetes mellitus, insuficiência renal, hipertensão.

Existem duas formas de cardiosclerose aterosclerótica:

  • Focal pequeno difuso,
  • Difusa grande focal.

Neste caso, a doença é dividida em 3 tipos:

  • Isquêmico - ocorre como consequência do jejum prolongado devido à falta de fluxo sanguíneo,
  • Pós-infarto - ocorre no local do tecido afetado por necrose,
  • Misto - para este tipo dois sinais anteriores são característicos.

Sintomatologia

A cardiosclerose aterosclerótica é uma doença que tem um longo curso, mas sem tratamento adequado, está progredindo constantemente. Nos estágios iniciais, o paciente pode não sentir nenhum sintoma, portanto, anormalidades no trabalho do coração podem ser notadas apenas no ECG.

Com a idade, o risco de aterosclerose vascular é muito alto, portanto, mesmo sem um infarto do miocárdio prévio, pode-se supor a presença de muitas pequenas cicatrizes no coração.

  • Primeiro, o paciente nota a aparência de falta de ar, que aparece durante o exercício. Com o desenvolvimento da doença, começa a incomodar uma pessoa mesmo durante a marcha lenta. Uma pessoa começa a sentir aumento da fadiga, fraqueza e é incapaz de realizar qualquer ação rapidamente.
  • Há dores na área do coração, que se intensificam à noite. Ataques típicos de angina não são descartados. A dor irradia para a clavícula esquerda, omoplata ou braço.
  • Dores de cabeça, congestão nasal e zumbido sugerem que o cérebro passa fome de oxigênio.
  • Ritmo cardíaco alterado. Taquicardia e fibrilação atrial possíveis.


Métodos diagnósticos

O diagnóstico de cardiosclerose aterosclerótica é feito com base na história coletada (infarto do miocárdio prévio, presença de doença coronariana, arritmia), manifestando sintomas e dados obtidos por meio de estudos laboratoriais.

  1. Um ECG é realizado no paciente, onde podem ser determinados sinais de insuficiência coronariana, presença de tecido cicatricial, arritmias cardíacas, hipertrofia ventricular esquerda.
  2. Um exame de sangue bioquímico é realizado e revela hipercolesterolemia.
  3. Os dados da ecocardiografia indicam violações da contratilidade miocárdica.
  4. A ergometria de bicicleta mostra qual o grau de disfunção miocárdica.

Para um diagnóstico mais preciso da cardiosclerose aterosclerótica, os seguintes estudos podem ser realizados: monitorização diária do ECG, ressonância magnética cardíaca, ventriculografia, ultrassonografia das cavidades pleurais, ultrassonografia da cavidade abdominal, radiografia de tórax, cardiografia de ritmo.

Não existe tal tratamento para cardiosclerose aterosclerótica, porque é impossível reparar o tecido danificado. Toda terapia visa aliviar sintomas e exacerbações.

Alguns medicamentos são prescritos para o paciente por toda a vida. Certifique-se de prescrever medicamentos que possam fortalecer e expandir as paredes dos vasos sanguíneos. Se houver evidência, uma operação pode ser realizada durante a qual grandes placas nas paredes vasculares serão removidas. A base do tratamento é uma nutrição adequada e atividade física moderada.

Prevenção de doenças

Para prevenir o desenvolvimento da doença, é muito importante começar a monitorar sua saúde no prazo, especialmente se já houve casos de desenvolvimento de cardiosclerose aterosclerótica na história familiar.

A prevenção primária é a nutrição adequada e a prevenção do excesso de peso. É muito importante realizar exercícios físicos diários, não levar um estilo de vida sedentário, consultar regularmente um médico e monitorar o colesterol no sangue.

A prevenção secundária é o tratamento de doenças que podem provocar cardiosclerose aterosclerótica. No caso de diagnosticar a doença nos estágios iniciais de desenvolvimento e desde que todas as recomendações do médico sejam seguidas, a cardiosclerose pode não progredir e permitirá que uma pessoa leve um estilo de vida completo.

O que é cardiosclerose aterosclerótica?

O conceito médico de "cardiosclerose" refere-se a uma doença grave do músculo cardíaco associada ao processo de proliferação difusa ou focal do tecido conjuntivo nas fibras musculares do miocárdio. Existem variedades da doença no local da formação de distúrbios - aortocardiosclerose e cardiosclerose coronária. A doença é caracterizada por uma propagação lenta com um longo curso.

A aterosclerose das artérias coronárias, ou esclerose coronária estenótica, causa sérias alterações metabólicas no miocárdio e isquemia. Ao longo do tempo, as fibras musculares atrofiam e morrem, a doença cardíaca coronária piora devido a uma diminuição na excitação de impulsos e distúrbios do ritmo. A cardiosclerose geralmente afeta homens mais velhos ou de meia-idade.

Informações gerais

Cardiosclerose (miocardiosclerose) - o processo de substituição focal ou difusa de fibras musculares do miocárdio com tecido conjuntivo. Dada a etiologia, costuma-se distinguir entre miocardite (devido a miocardite, reumatismo), aterosclerose, pós-enfarte e cardiosclerose primária (com colagenose congénita, fibroelastose). Cardiosclerose aterosclerótica em cardiologia é considerada como uma manifestação de doença cardíaca coronária devido à progressão da aterosclerose dos vasos coronários. A cardiosclerose aterosclerótica é detectada principalmente em homens de meia-idade e idosos.

A essência da patologia

O que é cardiosclerose aterosclerótica? Este é um processo patológico no qual fibras musculares do miocárdio são substituídas por fibras do tecido conjuntivo. A cardiosclerose pode diferir na etiologia do processo patológico, pode ser miocárdica, aterosclerótica, primária e pós-infarto.

Na cardiologia, esta patologia é considerada como aterosclerose dos vasos coronários e, como manifestação de doença coronariana, a cardiosclerose aterosclerótica, na maioria dos casos, é observada em homens de meia-idade e idosos.

Causas da cardiosclerose aterosclerótica

A patologia em consideração é baseada em lesões ateroscleróticas dos vasos coronários. Um fator preponderante no desenvolvimento da aterosclerose é uma violação do metabolismo do colesterol, acompanhada pela deposição excessiva de lipídios no revestimento interno dos vasos sangüíneos. A taxa de formação de aterosclerose coronariana é significativamente afetada pela hipertensão arterial concomitante, uma tendência à vasoconstrição e consumo excessivo de alimentos ricos em colesterol.

A aterosclerose dos vasos coronários leva ao estreitamento do lúmen das artérias coronárias, suprimento sanguíneo prejudicado ao miocárdio, seguido pela substituição de fibras musculares por tecido conjuntivo cicatricial (cardiosclerose aterosclerótica).

Código ICD-10

De acordo com a décima Classificação Internacional de Doenças (CID 10), que ajuda a identificar o diagnóstico na história da doença e a escolher o tratamento, não existe um código exato para a cardiosclerose aterosclerótica. Os médicos usam a codificação I 25.1, que significa doença cardíaca aterosclerótica. Em alguns casos, a designação 125.5 é usada - cardiomiopatia isquêmica ou I20-I25 - doença coronariana.

Por muito tempo, a cardiosclerose aterosclerótica pode não ser detectada. Os sintomas na forma de desconforto são frequentemente confundidos com mal-estar simples. Se os sinais de cardiosclerose começarem a incomodar-se regularmente, você deve consultar um médico. Os seguintes sintomas servem de motivo para o tratamento:

  • fraqueza, diminuição do desempenho,
  • falta de ar que aparece durante o descanso,
  • dor no epigástrio,
  • tosse sem sinais de resfriado, acompanhada de edema pulmonar,
  • arritmia, taquicardia,
  • dor aguda no esterno, estendendo-se para o antebraço esquerdo, braço ou omoplata,
  • aumento da ansiedade.

Um sinal raro de cardiosclerose aterosclerótica é um ligeiro aumento do fígado. O quadro clínico da doença é difícil de determinar, guiado apenas pelas sensações do paciente, eles são semelhantes aos sintomas de outras doenças. A diferença reside no fato de que, com o passar do tempo, a progressão das convulsões se desenvolve, elas começam a aparecer com mais frequência, usam um caráter regular. Em pacientes com placas ateroscleróticas pós-infarto, a probabilidade de recorrência é alta.

Consequências e Complicações

A cardiosclerose aterosclerótica é caracterizada por um curso crônico de evolução lenta. Períodos de melhora podem durar muito tempo, mas ataques repetidos de distúrbios do fluxo sangüíneo coronariano agravam gradualmente a deterioração da condição dos pacientes.

O prognóstico da cardiosclerose aterosclerótica é determinado por vários fatores, principalmente os seguintes:

  • área de lesão miocárdica,
  • tipo de condução e arritmia,
  • estágio de insuficiência cardiovascular crônica no momento da detecção da patologia,
  • a presença de doenças concomitantes,
  • idade do paciente.

Na ausência de fatores agravantes, tratamento sistêmico adequado e implementação de recomendações médicas, o prognóstico é moderadamente favorável.

Causas e patogênese

As causas do desenvolvimento da doença podem ser as seguintes:

  • excesso de peso
  • colesterol alto
  • maus hábitos
  • estilo de vida sedentário
  • diabetes mellitus e outras desordens endócrinas,
  • doença coronariana.

Fatores ateroscleróticos no sistema cardiovascular levam a necrose no tecido cardíaco, os receptores morrem como resultado desta patologia, o que leva a uma diminuição da sensibilidade do coração ao oxigênio.

A doença é caracterizada por um curso longo e em desenvolvimento ativo, como resultado, o ventrículo esquerdo aumenta significativamente em volume, que é acompanhado por insuficiência cardíaca e todos os seus sintomas concomitantes (distúrbios do ritmo cardíaco, angina pectoris, etc.).

Sintomas característicos

Os sintomas da cardiosclerose aterosclerótica têm diferentes intensidades, depende da localização do processo e da sua prevalência. Nos estágios iniciais da doença, o paciente se preocupa com a falta de ar, e ocorre com tal esforço físico que anteriormente não causava nenhum sintoma. Com o desenvolvimento da doença, a dispneia começa a aparecer em repouso. Além disso, a cardiosclerose aterosclerótica se manifesta da seguinte forma:

  • arritmia se desenvolve,
  • há dor na região do coração e sua intensidade pode ser muito variável - desde um ligeiro desconforto até ataques graves, muitas vezes a dor é dada ao lado esquerdo do corpo,
  • a pressão sanguínea se torna espasmódica,
  • tontura e orelhas entupidas são possíveis,
  • inchaço aparece.

Se a cardiosclerose pós-infarto tem todos esses sintomas em uma forma brilhante e constante, então a aterosclerótica é caracterizada por um curso ondulado, uma vez que os processos patológicos no miocárdio ocorrem gradualmente.

Diagnóstico da doença

O diagnóstico é baseado em um estudo de hardware, já que os sintomas descritos acima podem ser observados em outras doenças que não estão relacionadas à cardiologia, por exemplo, asma. A versão mais persistente do diagnóstico de hardware é um ECG. É muito importante salvar todos os resultados do ECG para que o médico possa rastrear a dinâmica e a cronologia da doença. Patologias no ECG só podem ser decifradas por um especialista.

Se houver sinais de distúrbio do ritmo cardíaco, a presença de extrassístoles únicas será visível no eletrocardiograma; se a condutividade estiver prejudicada, o médico verá bloqueios; os dentes também poderão aparecer no eletrocardiograma, que o paciente não tinha antes.

O ultra-som do coração também pode fornecer informações sobre má circulação. Para o diagnóstico da patologia, outros métodos de pesquisa também são utilizados - ecocardiografia e bicicleta ergométrica. Esses estudos fornecem informações altamente precisas sobre o estado do coração em repouso e durante o esforço.

Qual é o perigo da doença e quais podem ser as complicações

A cardiosclerose aterosclerótica é uma doença latente e, como está associada ao coração, o perigo fala por si. A cardiosclerose é perigosa por suas mudanças irreversíveis. Como resultado da má circulação sanguínea no miocárdio, ocorre falta de oxigênio, e o coração não consegue trabalhar no modo correto. Como resultado, as paredes do coração engrossam e aumentam de tamanho. Devido à tensão muscular excessiva, o vaso pode estar danificado (ou romper completamente), ocorre infarto do miocárdio.

As complicações da cardiosclerose aterosclerótica são várias doenças cardíacas que podem ser fatais.

Tipos e etapas da cardiosclerose

Existem vários estágios do desenvolvimento da patologia, cada um deles tem seus próprios sintomas, e o tratamento em diferentes estágios também tem diferenças:

  • Estágio 1 - taquicardia e falta de ar, ocorrem apenas durante o esforço físico,
  • Estágio 2 com insuficiência ventricular esquerda - sintomas ocorrem com exercício moderado,
  • Estágio 2 em caso de insuficiência do ventrículo direito - há inchaço nas pernas, palpitações, acrocianose rápida e moderada das extremidades,
  • Estágio 2B - a estagnação é observada em ambos os círculos da circulação sanguínea, o fígado é aumentado, o inchaço não diminui,
  • Estágio 3 - os sintomas são constantes, o trabalho de todos os sistemas e órgãos é interrompido.

A cardiosclerose pode ser dos seguintes tipos:

  • aterosclerótica - desenvolve-se como resultado da deposição de placas ateroscleróticas nos vasos coronários,
  • pós-infarto
  • cardiosclerose difusa - o músculo cardíaco é completamente coberto pelo processo patológico,
  • processos pós-miocárdicos - inflamatórios no miocárdio.

Tratamento da doença

A primeira coisa que é recomendada ao paciente é a dieta alimentar. É necessário deixar de comer pratos gordurosos, fritos, de farinha, salgados e defumados. É aconselhável restringir cereais, carnes dietéticas, como frango, peru, vitela, comer mais frutas e legumes.

Também é mostrada uma mudança no estilo de vida - atividade física viável (natação, corrida sem pressa, caminhada), gradualmente a carga deve ser aumentada. Todas essas medidas são terapias auxiliares para o tratamento medicamentoso, sem as quais a melhora para pacientes com aterosclerose é impossível.

Quais medicamentos devem ser usados ​​para tratar cardiosclerose aterosclerótica, um médico deve recomendar, é impossível tomar drogas por conta própria, a fim de evitar conseqüências sérias.

Medicamentos prescritos que reduzem a viscosidade do sangue - Cardiomagnyl ou Aspirin. Sua recepção é necessária para que a formação de placas seja retardada e o entupimento da embarcação não ocorra. Ingestão de longo prazo e regular desses fundos é uma boa prevenção do infarto do miocárdio.

Medicamentos prescritos que diminuem os lipídios no sangue: Sinvastatina, Atorvastatina, Rosuvastatina. A nitroglicerina é indicada para ataques de doença coronariana, mas seu efeito é a curto prazo, se convulsões ocorrem com freqüência, vale a pena usar drogas que tenham um efeito mais longo.

Com edema grave, os diuréticos espironolactona, Veroshpiron são prescritos, se esses fundos são ineficazes, em seguida, a furosemida é prescrita. Além disso, são prescritos medicamentos que reduzem a pressão arterial e aliviam os sintomas da insuficiência cardíaca: enalapril, captopril, lisinopril.

Se necessário, outros medicamentos são adicionados ao regime de tratamento. Com a ineficácia do tratamento medicamentoso, propõe-se a intervenção cirúrgica, que visa melhorar o suprimento sanguíneo ao miocárdio.

Previsão e medidas preventivas

A previsão pode ser dada somente após um diagnóstico completo do paciente, avaliação de seu estado geral e a presença de doenças concomitantes. Segundo as estatísticas, se cardiosclerose aterosclerótica não deu complicações graves e com risco de vida, e se o tratamento foi iniciado a tempo e completado com sucesso, então podemos falar sobre a sobrevivência de 100%.

Devo dizer que quase todas as complicações que afetam o percentual de sobrevida estão associadas ao fato de que o paciente posteriormente recorre ao médico em busca de ajuda, bem como ao descumprimento de todas as recomendações que o especialista prescreveu.

O tratamento de doenças cardíacas e vasculares, incluindo a aterosclerose, é longo e bastante complicado, por isso, se uma pessoa tem uma predisposição para essas patologias, então é necessário iniciar a prevenção em tempo hábil. Conhecendo as causas da doença, é fácil entender o que é a prevenção da cardiosclerose aterosclerótica:

  1. Nutrição adequada. Os alimentos só devem ser benéficos para o corpo, devem ser cozidos com uma quantidade mínima de óleo, isto é, devem ser usados ​​métodos de cocção suaves. Alimentos gordurosos e defumados devem ser drasticamente reduzidos, a ingestão de sal deve ser reduzida.
  2. Normalização de peso Envelhecimento prematuro e muitos problemas no corpo estão associados ao excesso de peso. Não é necessário aderir a dietas estritas e debilitantes, basta comer de forma adequada e equilibrada, e o peso se normaliza sem danos e estresse ao organismo.
  3. Certifique-se de abandonar os maus hábitos. Este é um ponto-chave no tratamento de doenças cardíacas e vasculares. Fumar e abuso de álcool afetam negativamente a condição de todos os sistemas e órgãos humanos, vícios destroem vasos sanguíneos e agravam processos metabólicos.
  4. Um estilo de vida ativo é muito importante para manter o tom e fortalecer o corpo como um todo. No entanto, não vale a pena ser muito zeloso nos esportes, a atividade física deve ser viável e dar alegria a uma pessoa. Se não houver vontade de correr e nadar, então você pode escolher caminhadas ou alguma outra atividade ativa.

Prevenção de doenças cardíacas e patologias vasculares é um estilo de vida saudável. Infelizmente, nos últimos anos, menos pessoas se preocupam com sua saúde e ouvem os conselhos dos médicos, eles devem lembrar que a cardiosclerose aterosclerótica é uma doença que se desenvolve ao longo de muitos anos, não pode ser rapidamente curada, mas pode ser prevenida.

Patogênese da cardiosclerose aterosclerótica

A aterosclerose estenótica das artérias coronárias é acompanhada por isquemia e distúrbios metabólicos no miocárdio e, como resultado, uma distrofia gradual e de desenvolvimento lento, atrofia e morte de fibras musculares, no local das quais se formam necrose e cicatrizes microscópicas. A morte de receptores ajuda a reduzir a sensibilidade dos tecidos miocárdicos ao oxigênio, o que leva a uma maior progressão da doença coronariana.

A cardiosclerose aterosclerótica é difusa e prolongada. Com a progressão da cardiosclerose aterosclerótica, hipertrofia compensatória se desenvolve e, em seguida, dilatação do ventrículo esquerdo, os sinais de insuficiência cardíaca aumentam.

Dados os mecanismos patogênicos, destacam-se as variantes isquêmica, pós-infarto e mista da cardiosclerose aterosclerótica. A cardiosclerose isquêmica se desenvolve devido à falência circulatória prolongada, progride lentamente, afetando difusamente o músculo cardíaco. A cardiosclerose pós-infarto (pós-necrótica) é formada no local do antigo local de necrose. A cardiosclerose aterosclerica mista (transitia) combina ambos os mecanismos acima e caracteriza-se por um desenvolvimento difuso lento de tecido fibroso, contra o qual formam-se periodicamente focos necricos ap infarto do miocdio repetido.

Prognóstico e prevenção da cardiosclerose aterosclerótica

O prognóstico da cardiosclerose aterosclerótica depende da extensão da lesão, da presença e do tipo de distúrbios do ritmo e da condução e do estágio da insuficiência circulatória.

A prevenção primária da cardiosclerose aterosclerótica é a prevenção de alterações ateroscleróticas nos vasos sanguíneos (nutrição adequada, atividade física suficiente, etc.). Medidas preventivas secundárias incluem o tratamento racional da aterosclerose, dor, arritmias e insuficiência cardíaca. Pacientes com cardiosclerose aterosclerótica necessitam de acompanhamento regular por um cardiologista, exame do sistema cardiovascular.